...

Especialização em

Política Internacional: Diplomacia, Guerras e Revoluções no Século XXI

360 horas

DURAÇÃO

18 meses

CATEGORIA

Pós-Graduação Especialização

MODALIDADE

PRESENCIAL

INVESTIMENTO

HORÁRIO

Sexta-feira: das 19h às 23h | Sábado: das 8h às 13h

POR QUE FAZER ESTE CURSO?

O século XX foi palco de inúmeras guerras, insurreições, rebeliões, revoluções, movidas por interesses de classes sociais, interesses econômicos e geopolíticos de empresas transnacionais e governos, interesses de partidos políticos, grupos e organizações presentes na sociedade, sejam civis ou militares. Além das duas grandes guerras mundiais (1914-1918 e 1939-1945), uma multiplicidade de conflitos regionais se desenvolveram, em especial no período conhecido como Guerra Fria. Para alguns analistas o fim da Guerra Fria levaria a humanidade a viver um momento de paz, harmonia e cooperação entre povos e nações. Viveríamos num mundo de integração e  desenvolvimento mútuos, caminhando na direção de nos tornarmos uma efetiva “Aldeia Global”. Não foi o que ocorreu. Desde 1991 os EUA têm ampliado seus gastos militares e o número de bases e de tropas pelos diferentes territórios do planeta. Novas guerras surgiram, com gravíssimas consequências do ponto de vista econômico, social, político, cultural e humanitário. Balcãs, Ex-Iugoslávia, Iraque, Afeganistão, Líbia, Síria, Iêmen, Sudão, Congo, só para citar algumas. Rússia ressurge como ativa protagonista na política internacional, com presença forte na Venezuela, na Síria e em outros campos de batalha, sejam militares, políticos ou ideológicos/midiáticos. As rivalidades entre EUA e China se intensificam, e a divergência entre essas potências vão desde questões comerciais até questões militares e territoriais, sobre África, Oriente Médio, Península Coreana. A crescente influência da China, tanto econômica quanto política, tornou-se tema permanente de debate nos meios acadêmicos que estudam as relações internacionais. Vemos o surgimento de uma Segunda Guerra Fria, com guerras por procuração, guerras híbridas e a proliferação de conflitos não convencionais/assimétricos, guerras de guerrilha, terrorismo, operações de guerra psicológica. No Oriente Médio Irã, Arábia Saudita e Turquia se consolidam como potências regionais, e seus interesses estão presentes nos muitos conflitos em curso, principalmente depois da chamada “Primavera Árabe”. O conflito Palestina-Israel segue sem uma solução negociada e a curto prazo. Os curdos ganham projeção como importantes atores nos vários países onde vivem. No Saara Ocidental os interesses espanhóis, franceses e marroquinos se confrontam com o desejo de independência de uma das últimas colônias africanas. Na Europa ressurgem movimentos nacionalistas e separatistas, com maior expressão na Cataluña, mas também na Irlanda do Norte, País Basco, Escócia. Na América Latina a crise econômica, política e social transforma-se em situações de intenso conflito entre diferentes forças, resultando em mudanças de governos que vão influenciar na política regional e na política internacional, em especial em espaços como MERCOSUL, UNASUL, CELAC e BRICS. Nesse emaranhado de interesses conflituosos na política internacional, a ONU procura, sem muita efetividade, chamar a atenção para os princípios do direito internacional humanitário, e para os valores presentes na sua carta de fundação. O número de refugiados aumentou significativamente nos últimos anos, e milhares de cidadãos são expulsos de sua pátria, vivendo em condições precárias e subumanas. Violações de direitos humanos e do direito internacional são uma constante na época atual. A OTAN apresenta o conceito de “intervenções humanitárias”, como justificativa para ações em países que nunca ameaçaram seus membros, mas ameaçam seus interesses. Estudar essas múltiplas dimensões da política internacional, em especial as diferentes situações de conflito e guerras no século XXI será um dos principais objetivos do curso, sempre com um olhar para as transformações geopolíticas e geoestratégicas que têm acompanhado o complexo cenário internacional contemporâneo.

OBJETIVOS

Estudar as múltiplas dimensões da política internacional na atualidade, com especial atenção para as guerras e conflitos em desenvolvimento no século XXI, bem como suas consequências para o direito internacional humanitário.

RESPONSÁVEL

Prof. Dr. Marcelo Buzetto

DISCIPLINAS
  • A questão palestina e os conflitos do Oriente Médio: origem, desenvolvimento e cenários possíveis para os próximos anos.
  • A teoria do imperialismo e sua contribuição para a análise das relações internacionais contemporâneas.
  • As guerras na Líbia, Síria e Iêmen: partes de uma mesma estratégia?
  • As tensões na Península Coreana e o papel dos EUA, China e Rússia.
  • Atividades complementares.
  • Desenvolvimento econômico, justiça social e soberania nacional na América Latina contemporânea.
  • Economia política internacional: uma análise sobre a crise estrutural do capital.
  • Islamismo: sua influência na história, na cultura e na política dos povos do grande Oriente Médio.
  • O papel da violência na resolução de conflitos: uma reflexão sobre a política armada (guerras, terrorismo, guerrilhas, revoluções).
  • Os interesses geopolíticos dos EUA na América Latina (1945-2019).
  • Revisitando o Panafricanismo e sua análise da política internacional: uma alternativa viável?
  • Trabalho de conclusão de curso.
  • Um debate sobre as origens e o desenvolvimento da chamada “Primavera Árabe”, e seu impacto na geopolítica do Grande Oriente Médio.
INFORMAÇÕES

Telefone: (11) 4979-3410 ou (11) 4979-3361
Email: pos@fsa.br

Horário: 14h às 21h

(11) 4979-3300

fale com nossa equipe

(11) 4979-3333

entre em contato por WhatsApp

© 2019 | Fundação Santo André

Skip to content