Bianca Fernandes Marocci

Analista Administrativo de Vendas Pleno na Bio-Rad Laboratories

Foto

Porque você escolheu a FSA?

Dentre as opções de universidade que estava considerando escolher, me matriculei na FSA inicialmente pela proximidade com a minha casa, valor da mensalidade e pela grade curricular, que contemplava licenciatura e bacharelado simultaneamente. Pesquisei sobre a instituição e já conhecia a tradição da faculdade na região do ABC.

Como foi sua trajetória de carreira até o momento? (do estágio até onde você trabalha atualmente)

Do início da faculdade até o momento atual passei por várias experiências diferentes. No mesmo ano que comecei o curso de Biologia entrei no PIBID e foi meu primeiro contato profissional com a carreira que escolhi, na vertente de licenciatura. Nessa área, também fui monitora da disciplina de Química. Ambas as experiências me mostraram como é lindo e desafiador o papel de um professor dentro da sala de aula. Passei por um estágio em laboratório de Anatomia Patológica no segundo ano do curso, no setor de macroscopia e com essa oportunidade percebi que a rotina de um laboratório é bem diferente do que eu imaginava, a demanda é bastante alta e repetitiva, fazendo com que eu quisesse expandir meus horizontes quanto a atuação profissional de um biólogo. No terceiro ano do curso, em 2016, entrei no meu atual emprego como estagiária de Customer Service numa empresa americana de Biotecnologia. Considero essa a experiência que mais tem me feito crescer profissionalmente. Descobri a atuação do Biólogo na área comercial, para vendas de produtos de Biotecnologia nos segmentos de Pesquisa Científica e Diagnóstico Clínico, acompanhando as inovações tecnológicas que movimentam o mercado e mudam a vida das pessoas. Hoje sou Analista Pleno no mesmo setor que entrei estagiária e trabalho com funções administrativas sem deixar de lado minha formação como Bióloga em nenhum momento.

Quais foram as maiores dificuldades encontradas no seu início da sua carreira?

A maior dificuldade que enfrentei foi o processo de adquirir experiência suficiente para encontrar um emprego remunerado na área que escolhi. Nessa fase, em busca de conhecimento e experiência, nos sujeitamos a estagiar sem bolsa ou recebendo tão pouco que paga mal nosso deslocamento e alimentação, que dirá os custos com os estudos e não posso negar que essa realidade desanima. Além disso, o cansaço de um dia de trabalho e a responsabilidade de se dedicar as demandas da faculdade também foi desgastante. Mas com o avançar do curso e sempre aprimorando suas habilidades paralelamente, oportunidades melhores vão surgindo e tudo começa a fazer sentido.

Quais são suas lembranças favoritas dos tempos de FSA?

As minhas lembranças favoritas foram as descobertas que fiz na área que escolhi estudar. A biologia é encantadora e a cada aula em que aprendia algo novo que me interessava, mesmo cansada, sentia que eu estava no caminho certo. Com certeza o convívio com os amigos, as particularidades dos professores, as atividades em campo (viagem de geologia pra Itu e a do último ano pra Bertioga com o Laporta), escapar do exame de Zoologia dos Vertebrados aos 45 do segundo tempo e algumas idas ao Cisso fazem parte das lembranças que guardo com muito carinho no coração.

Como a sua formação na FSA influenciou o trabalho que realiza atualmente?

Eu uso a Biologia diariamente no meu trabalho, mesmo que nele eu também use ferramentas de outras áreas. O conhecimento que adquiri na graduação faz sentido hoje quando vejo a solicitação de um cliente para comprar um equipamento de eletroforese, por exemplo, e eu sei como ajudá-lo dentro do portifólio da empresa por saber da técnica que ele está falando. Nenhum universitário se forma 100% pronto para o mercado de trabalho, inclusive penso que é nesse momento que consolidamos o aprendizado da faculdade e vamos nos tornar profissionais, seja qual for a carreira que tenhamos escolhido seguir.

Quais conselhos você daria a um atual estudante da FSA?

Eu diria para pensar em aprender além do ambiente da sala de aula. Investir em cursos rápidos de aprimoramento na sua área de interesse durante a própria graduação, onde é uma boa oportunidade para aumentar contatos profissionais e não deixar de estudar outro idioma. Dentro das suas possibilidades financeiras, aceite estágios voluntários (ou pouco remunerados) que possam te fazer aprender e ter o que oferecer em uma entrevista de emprego. O mercado está com vagas cada vez mais restritas ao mesmo tempo que o nível de exigência está alto. É importante ter paciência e acreditar em si próprio, no investimento que fez em sua formação e continuar se qualificando continuamente, pois a recompensa disso tudo chegará até você.  

(11) 4979-3300

fale com nossa equipe

(11) 4979-3333

entre em contato por WhatsApp

© 2019 | Fundação Santo André